Você é intolerante à lactose?

Conheça os sintomas e diagnóstico desta doença

Publicado em 12/01/2016

A intolerância à lactose é o resultado da deficiência ou falta de enzima lactase – produzida no intestino delgado – que tem a finalidade de decompor o açúcar do leite em carboidratos, para sua melhor absorção.

Algumas pessoas sentem dor abdominal, náuseas, desconforto, diarreia e gases após consumir leite ou algum de seus derivados. E muita gente confunde esses sintomas com um simples desconforto. 

Se o incômodo aparecer entre meia hora e duas horas após o consumo de laticínio, deve-se procurar um médio para identificar a possível intolerância à lactose. 

Essa rejeição do organismo ao leite acontece por problemas - ou falta - na enzima, e com isso a digestão da lactose fica difícil e chega ao intestino inalterada, sendo fermentada por bactérias e produzindo acido láctico e gases. Além disso, a lactose no intestino grosso aumenta a retenção de água, causando diarreia e cólicas. 

Intolerância ou alergia?
A alergia é uma resposta do sistema imunológico a algum componente do alimento, já a intolerância é uma reação adversa que envolve digestão ou metabolismo. 

Diagnóstico
Há três maneiras de ser feito o diagnóstico:
1 – Teste de intolerância à lactose: o paciente recebe uma dose de lactose em jejum e, após duas horas, são colhidas amostras de sangue que indicam os níveis de glicose.
2 – Teste de hidrogênio na respiração: o paciente ingere uma bebida com alta quantidade de lactose e o médico analisa o hálito da pessoa a cada 15 minutos por expiração. Se o nível de hidrogênio aumentar, significa intolerância.
3 – Teste de acidez nas fezes: o exame de fezes é realizado normalmente, pois se a pessoa ingeriu alimentos com lactose, ela não foi bem digerida e produziu ácidos que podem ser detectados nas fezes.  

Sintomas
Os sintomas são dores abdominais, náuseas, gases, diarreia e cólica após a ingestão de laticínios. 

Prevenção e tratamento
Quando diagnosticada a intolerância, é necessário excluir leite, derivados, produtos ou alimentos preparados com leite. Uma forma de continuar consumindo leite é ingerir suplementos da enzima lactase – comprimidos ou tabletes mastigáveis. A dieta exige cuidados, pois o não consumo de leite e derivados pode gerar a falta de cálcio. Por isso é importante a substituição do leite por vegetais de cor verde escura, como brócolis, couve, agrião, mostarda, além de repolho e peixes de ossos moles. 

Fatores de risco
Alguns fatores são considerados de risco, confira:
- Idade: as chances de desenvolver intolerância à lactose aumento ao passar dos anos
- Etnia: é mais comum em negros, asiáticos, hispânicos e indígenas.
- Nascimento prematuro: os bebês produz a enzima lactase no terceiro trimestre da gravidez, assim, se ele nasce prematuro, há menos lactase no organismo. 
- Doenças: algumas condições afetam o intestino delgado e causam a intolerância à lactose, como a doença de Crohn.

Importante
É importante ressaltar que apesar do desconforto causado pela intolerância, a doença não causa riscos de vida. 

Imagem destaque: via

Imagem: via